Você pode prevenir a doença de Alzheimer

comida de cérebro

Você pode ser capaz de reduzir o risco da doença de Alzheimer em colossais 70 a 80%, diz Neal Barnard, MD, presidente do Comitê de Médicos para a Medicina Responsável, as organizações sem fins lucrativos que patrocinaram a primeira Conferência Internacional sobre Nutrição e os Brain no fim de semana passado em Washington DC.

Dezesseis pesquisadores apresentaram evidências convincentes sobre por que os sete hábitos a seguir podem ajudar a alertar sobre muitos distúrbios neurológicos, não apenas o mal de Alzheimer, que roubam nossa mente.



1) Minimize a ingestão de gorduras saturadas e trans. Essas gorduras ruins tendem a aumentar os níveis de colesterol no sangue, o que estimula a produção de placas beta-amilóides perigosas no cérebro - uma marca registrada da doença de Alzheimer. No Chicago Health and Aging Study, as pessoas que consumiram mais gordura saturada tiveram o triplo do risco de desenvolver a doença de Alzheimer.



2) Vegetais, legumes, frutas e grãos inteiros devem ser os alimentos básicos em sua dieta. Esses alimentos são ricos em vitaminas e minerais que protegem o cérebro, como vitamina B6 e ácido fólico. O Chicago Health and Aging Study descobriu que uma alta ingestão de frutas e vegetais foi associada a um risco reduzido de declínio cognitivo. Uma dieta rica em vegetais também reduz o risco de obesidade e diabetes tipo 2, que podem desempenhar um papel na doença de Alzheimer.

3) Consuma cerca de 5 mg de vitamina E diariamente. Este antioxidante foi associado a um risco reduzido de doença de Alzheimer e pode ser facilmente consumido comendo um punhado de nozes ou sementes ou mastigando mangas, mamões, abacates, tomates, pimentões vermelhos, espinafre e pães e cereais fortificados. Mas concentre-se nas fontes de alimentos, diz o Dr. Barnard. Tomar um suplemento não parece oferecer o mesmo benefício.



4) Pegue um suplemento de B12. Obter quantidades adequadas dessa vitamina B (cerca de 2,4 mcg por dia), encontrada em produtos de origem animal e alimentos fortificados, ajuda a reduzir os níveis de homocisteína, um aminoácido ligado à deficiência cognitiva. Em um estudo da Universidade de Oxford com adultos mais velhos com níveis elevados de homocisteína e problemas de memória, a suplementação de vitamina B melhorou a memória e reduziu a atrofia cerebral. Se você tem mais de 50 anos ou segue uma dieta baseada em vegetais, tomar um suplemento é extremamente importante.

5) Evite multivitaminas com ferro e cobre a menos que seja indicado de outra forma pelo seu médico. A maioria das pessoas obtém níveis adequados desses metais por meio da dieta, e a ingestão em excesso tem sido associada a problemas cognitivos.



6) Evite cozinhar com panelas e frigideiras de alumínio. Em vez disso, opte por panelas de aço inoxidável ou ferro fundido. Embora o papel do alumínio no funcionamento do cérebro ainda esteja sob investigação, dados preliminares sugerem que ele pode contribuir para problemas cognitivos.

7) Caminhe vigorosamente três vezes por semana por pelo menos 40 minutos. A pesquisa sugere que o exercício aeróbico regular pode reduzir o risco de demência em 40 a 50%.

Ao adotar todos os hábitos acima, você pode estar preparando seu cérebro para durar muito.

Mais da Prevenção:

Você reconheceria os sinais da doença de Alzheimer?

O que seu telefone diz sobre seu cérebro dominante

10 truques para reiniciar seu cérebro