Os melhores (e piores) óleos para usar em cada método de cozimento

Líquido, Fluido, Frasco, Frasco de vidro, Bebida, Utensílios de bebida, Óleo, Ingrediente, Tampa do frasco, Utensílios de mesa, 1de 9Use isso para isso

Da azeitona ao coco e ao linho, não é segredo que os óleos estão tendo um grande momento culinário. Boa coisa também, já que a maioria deles é rica em gorduras insaturadas que ajudarão a manter seu coração em ótima forma, diz Stephanie Hoban, RD, uma chef de alimentos naturais de Houston. Mas qual é a maneira mais inteligente de encaixar todos esses diferentes lipídios em seu repertório de cozinha? E quais óleos são adequados para cada tipo de cozimento? Continue lendo para aprender os melhores (e piores) óleos para oito métodos de cozimento diários.

Refogar 2de 9Refogar

Você não pode errar com óleo de cártamo ou canola. Mas se você deseja adicionar um sabor de inspiração asiática, experimente óleo de gergelim torrado. Todos resistem às altas temperaturas de fritar por causa de seu alto ponto de fumaça, a temperatura na qual um óleo começa a queimar e emitir (você adivinhou!) Fumaça. Quando o óleo fumega, na verdade ele se oxida e fica rançoso, e os óleos oxidados são cancerígenos, diz Hoban. Se você optar pela canola, certifique-se de que é orgânica e certificada como não OGM: nos EUA, quase 90% da canola é geneticamente modificada.



O que não usar: Azeite. Com um ponto de fumaça que atinge cerca de 400 graus, ele não aguentará a temperatura intensa exigida para fritar.



Refogando 3de 9Refogando

Rico em gorduras saudáveis ​​para o coração, azeite de oliva de qualquer tipo funciona bem para este método de cozimento em fogo médio. O azeite refinado ou leve tem uma cor mais clara e um sabor mais neutro do que o seu primo virgem extra, o que o torna uma boa escolha para saltear generosamente. Opte por coisas virgens extras mais verdes, com grama (e geralmente mais caras) em pratos onde você deseja um sabor mais pronunciado de azeite de oliva, como o molho marinara.

O que não usar: Evite óleos que se degradam na presença de calor, como a semente de linhaça ou o gérmen de trigo.



Molhos, molhos e temperos 4de 9Molhos, molhos e temperos

Ao fazer itens crus como homus, pesto ou vinagrete, procure um rico e saboroso azeite de oliva extra virgem. Procurando algo um pouco diferente? Experimente o óleo de abacate. Embora você possa cozinhar com ele em altas temperaturas, sua essência amanteigada realmente brilha quando usada crua.

O que não usar: Óleo de canola ou cártamo. Embora seja perfeitamente seguro, o sabor neutro deixará o sabor da sua comida sem brilho.



Cozimento 5de 9Cozimento

Coco refinado, canola orgânica ou cártamo ficam bem em temperaturas médias normalmente usadas para assar, diz Hoban. Entre eles, o que você escolhe depende do sabor que você está procurando: o sabor distinto e aveludado do óleo de coco vai se destacar em produtos assados, enquanto a canola ou o cártamo vão desaparecer no fundo.

O que não usar: Óleos de semente de linhaça ou de gérmen de trigo. Embora você possa pensar que eles darão aos muffins e pães rápidos um impulso extra de ômega-3, esses óleos são frágeis e se decompõem na presença de calor, diz Hoban.

Assar 6de 9Assar

Seu óleo aqui depende da temperatura na qual você estará cozinhando. Se você estiver torrando a mais de 325 graus, escolha um óleo estável ao calor, como a canola orgânica. Cozinhando baixo e devagar? O azeite comum é uma boa escolha, diz Hoban.

O que não usar: Assim como você pularia o óleo de linhaça ou de gérmen de trigo para assar, evite-os para assar também.

Grelhados 7de 9Grelhados

Considere canola orgânica ou óleo de cártamo seus reis da grelha. Capazes de resistir a temperaturas que chegam perto de 500 graus, essas gorduras resistentes são as menos propensas a oxidar na presença de chamas ou carvão quente.

O que não usar: Azeite. Mesmo que toneladas de receitas exijam escovar proteínas e vegetais com as coisas antes de colocá-los na grelha, a gordura saudável para o coração não aguenta o calor.

Fritar 8de 9Fritar

A alta temperatura do óleo é a chave para preparar pratos fritos crocantes - não empapados - o que significa que a comida absorveu muita gordura. Com pontos de fumaça de até 450 graus, os óleos de amendoim, cártamo e soja dão conta do recado. Se você escolher o óleo de soja, no entanto, certifique-se de escolher uma variedade orgânica para evitar OGM.

O que não usar: Azeite. Por mais que você esteja tentado a fazer com que seus alimentos fritos pareçam um pouco mais virtuosos, seu ponto de fumaça é baixo demais para esse tipo de cozimento.

Aromatizante ou acabamento 9de 9Aromatizante ou acabamento

Para nutrição extra e profundidade de sabor, experimente óleo de linhaça ou de gérmen de trigo em smoothies ou regue com pratos cozidos (como grãos inteiros ou vegetais torrados) antes de servir. O óleo de gergelim torrado também pode tornar um prato acabado ainda mais delicioso.

O que não usar: Canola, cártamo ou azeite normal. Eles não farão nada, exceto deixar sua comida com gosto oleoso!

PróximoOs 57 nomes do açúcar